Amigo, você não fez nada

Tenho dias de confusão que só meus travesseiros entendem, e nesses, tudo que quero do mundo é distância.

Se acaso me encontrar por ai sem o riso que costumo levar, saiba que não estou no meu melhor momento.
Mas olha, eu continuo em algum lugar no meio de todo o cinza.
Aquela pessoa falante e repleta de sonhos.


Então não me mande mensagens quando eu sumir, não tente me encontrar.
E por fim, não me pergunte se estou bem, porque nós dois sabemos a resposta.
Quando a poeira baixar, eu vou precisar que você me lembre de tudo de bom que sempre lhe digo. Mas nos meus dias tristes me deixe só.


Preciso me ausentar do mundo algumas vezes, e ter meu tempo pra chorar e fazer meu escândalo silencioso no meu quarto.
Tenho minhas manias, meus estados, e às vezes, não é da conta de ninguém.
Não é o peso de ninguém.


Demorei muito pra aceitar que algumas bagunças fazem parte de quem sou.
Agora preciso encontrar sozinho a paz dentro da minha própria confusão.
E sabe, sumir faz parte.


Há momentos em que precisamos nos despedir de todo mundo e mergulhar dentro de nós mesmo pra lembrar quem somos. Pra poder ouvir as batidas do nosso próprio coração.


Eu vou ficar bem, mas no meu tempo.
Só não tente, porque eu mesmo não me entendo em grande parte do tempo.
Seu trabalho não é me compreender, mas se ainda estiver por aqui depois de tudo isso, um abraço seu seria ótimo.

Daniel Duarte

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s